LO TEDHAL Centro de Terapia da dor e Cuidados Paliativos

Voluntários

I - O que é o trabalho de um voluntário no acompanhamento em Cuidados Paliativos?

É a presença gratuita de pessoas, homens e mulheres, que se colocam à disposição para auxiliar os doentes e suas famílias, a equipe cuidadora e a instituição responsável pelo serviço de atendimento em cuidados paliativos. Esta presença amiga pode ser expressa de diferentes formas:

1 - Voluntário Cuidador

Qual a função de um voluntário cuidador?

  • Acolher os enfermos;
  • Ser presença discreta e silenciosa ao lado do enfermo para escutar o que ele quer e tem a dizer. Muitas vezes esta presença permite ao doente abordar assuntos que ele não ousa falar com as enfermeiras, seus próprios familiares e seus amigos. O voluntário faz parte da equipe cuidadora e por isso deve guardar segredo profissional;
  • Acompanhar os enfermos para uma distração exterior, como um passeio no jardim da própria clínica, para assistir um evento, estar ao seu lado em uma consulta, em outro serviço (sempre de acordo com a equipe cuidadora);
  • Ajudar o enfermo no momento das refeições;
  • Ler uma poesia ou um livro, se o doente assim o desejar;
  • Acolher, escutar e sustentar os familiares dos enfermos que muitas vezes estão esgotados;

A presença do voluntário deve ser de disponibilidade de escuta, de humildade e de sigilo.
O voluntário traz confiança à equipe cuidadora e deve estar à disposição de todos. È a pessoa que não se impõe, que não julga e que aceita que o doente pode não querer vê-lo.

2 - Voluntário Social

O voluntário pode também trabalhar sem ter contato direto com o paciente, como por exemplo:

  • Arrecadar doações para a instituição;
  • Ajudar a promover bazares, eventos de confraternização ou arrecadação de fundos para a instituição e conseqüentemente para os pacientes;
  • Colaborar na aquisição de medicamentos e outros materiais necessários;
  • Colaborar na feitura de folders, folhetos para difundir e sensibilizar a mídia e a população a fim de orientá-las sobre a importância dos cuidados paliativos;
  • Colaborar na realização dos sonhos dos pacientes.


II - Condição para ser voluntário

  1. Ter disponível um período fixo de um dos dias da semana;
  2. Não faltar (poderá trocar o seu dia colocando um outro voluntário da equipe no lugar);
  3. Ter capacitação através de um curso específico para voluntário oferecido pela instituição LO TEDHAL;
  4. Passar por uma entrevista com a psicóloga, a responsável pelo voluntariado e com a Diretora responsável pelo LO TEDHAL após ter realizado o curso.


III - Formação

Formação Inicial

1º nível: A pessoa interessada deverá fazer um curso administrado por profissionais especializados na área do voluntariado e pela equipe do Centro de Terapia da Dor e Cuidados Paliativos LO TEDHAL.

2º nível: Após o curso de formação e as entrevistas, a pessoa que desejar ser voluntário fará um estágio prático de 4 (quatro) dias ao lado de outras voluntárias do serviço, ou seja, com um acompanhante voluntário.
Em seguida, ficará como voluntário por um período de "teste" ou experiência durante 3 meses.
Após tomada a decisão final de continuar como voluntário, fará um estágio de formação de escuta de si mesmo e dos outros, administrado pela responsável do voluntariado e pela Diretora do LO TEDHAL.

Formação Contínua

1.  Participação obrigatória no "grupo da palavra" uma vez por mês, realizado com a equipe e uma psicóloga;
2.  Quando for o seu dia ou período de estar no serviço, participação obrigatória nas reuniões diárias com a equipe, que acontecem pela manhã e à tarde;
3.  Participação obrigatória em cursos como:

  • Comunicação não verbal
  • Emoções humanas
  • Luto e acompanhamento no luto
  • Necessidades espirituais do ser humano
  • Saber escutar e o silêncio
  • O apego


IV - Qualidades e requisitos

  • A convicção e a humildade de não se considerar sábio, apesar de toda a experiência já adquirida fora;
  • Uma real disponibilidade regular;
  • Uma grande habilidade para a escuta silenciosa;
  • Uma renúncia a todo proselitismo, religioso ou outro;
  • O desejo de partilhar tudo com a equipe sobre o que se vê e vive no trabalho (capacidade de viver uma vida de equipe);
  • Um grande equilíbrio psicológico;
  • Ter menos de 75 anos (formação para se integrar e vida de equipe);
  • Não ter passado por um luto mal resolvido ou que aconteceu há menos de um ano e meio;
  • Capacidade de se reavaliar, de se rever constantemente, pois cada pessoa é única.

V - A equipe de voluntários

- A equipe de voluntários é um local importante para encontrar suporte mútuo, exercício de escuta, de partilha e de formação;
- Cria condições para receber ensinamentos necessários para os voluntários, por exemplo, como abordar ou aproximar-se de um determinado doente;
- É também um exercício de partilha e depoimento sobre o que foi vivido no dia e na noite;
- A capacidade de viver uma vida de equipe faz parte das qualidades dos candidatos a voluntário;
- A equipe deve confiar totalmente no voluntário e o voluntário não deve desejar tomar o lugar de ninguém. Ele deve ser um dos mais disponíveis de todos e pensar que está a serviço de quem sofre, ou seja, do doente e seus familiares. Deve, por isso, ter um espírito inspirado em Madre Tereza de Calcutá: não ter piedade (pena) mas compaixão (estar ao lado do que sofre).
Ele deve estar em permanente laço com a equipe do Centro LO TEDHAL a fim de que sua ajuda seja sempre coordenada e nunca desestabilizada ou distonante através de uma linguagem diferente. Daí a necessidade de formação.

VI - A Responsável do Serviço de Voluntários

Ela tem o objetivo de estar junto com os voluntários, para orientá-los no serviço de ajuda ao próximo, de maneira profissional.
Faz a acolhida e seleção de novos candidatos, organização e participação da formação, com os coordenadores de voluntários, a direção e a equipe cuidadora.
Aos coordenadores de voluntários cabe oferecer um suporte permanente e mais direto aos voluntários e acolher estagiários vindos de fora para se beneficiar da formação dada dentro da instituição.
Com ela, os voluntários contribuem também, no dia a dia, a transmitir o espírito dos "cuidados paliativos e o espírito do Centro de Terapia da Dor e Cuidados Paliativos LO TEDHAL".

Assim, esperamos oferecer uma presença de voluntários que seja de qualidade.

Centro de Terapia da Dor e Cuidados Paliativos LO TEDHAL:
Rua Alexandre de Gusmão, 80 - Jardim Santa Genebra - CAMPINAS/SP - Brasil
Telefones/Fax: + 55 19 3242-3211 / 3242-8810 / 3243-0447

Copyright Lotedhal 2012
Todos os direitos reservados.
POWERED by w5.com.br